PUBLICIDADE

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Nissan Sentra 2014 x Citroën C4 Lounge 2014: qual é melhor?

11/12/2013 Carros do Álvaro — Sedãs da Citroën e da Nissan oferecem até mais que os líderes de vendas Civic e Corolla, mas com um preço mais realista.

Não faz muito tempo que a categoria dos sedãs médios era uma espécie de território da justiça. Seja Civic, seja Corolla, o cliente sabia que estava levando um veículo moderno, bem equipado e confiável. Pagar um pouco mais caro por isso fazia sentido já que os rivais estavam um passo atrás.

Mas essa realidade está mudando. Calejadas com as dificuldades por qual passaram, algumas marcas coadjuvantes no segmento resolveram fazer a lição de casa e lançar modelos não só à altura dos dois líderes como até superiores em muitos sentidos. E o principal: mais baratos que os carros da Honda e da Toyota.

Dois desses modelos revigorados estão aqui nesse comparativo, o Citroën C4 Lounge e o novo Nissan Sentra. Eles assumiram a posição de seus antecessores com a missão de ir além das vendas razoáveis que o C4 Pallas e o antigo Sentra tiveram. Por isso mostram muito mais virtudes que antes, a começar pelo preço. O francês feito na Argentina custa R$ 77.990 na versão Exclusive THP, a mais completa. Já o japonês produzido no México é mais barato: sai por R$ 71.990 na versão SL e tem tudo exceto pintura metálica. Para se ter uma ideia, o Civic EXR e o Corolla Altis saem por R$ 83.990 e R$ 85.000 e devendo muitos itens encontrados nesses novos candidatos.

Potência e economia contra suavidade

O embate entre os dois modelos começa na motorização. A Nissan optou por manter o conjunto anterior, mas efetuar melhorias no motor 2.0 de 140 cv e na transmissão CVT, que são semelhantes aos usados no Fluence, da Renault. Os dois trabalham bem e têm uma tocada suave, mas sem grandes arroubos em ultrapassagens. O problema está no consumo de combustível, que se mostrou alto. Já o Citroën adotou na versão top a dupla que tem feito sucesso em outros modelos, um novo câmbio automático de seis marchas da japonesa Aisin e o motor THP 1.6, que usa turbo e injeção direta de combustível. Mas, apesar de eficiente, o desempenho no dia a dia não chega a empolgar. A primeira marcha, de tão curta, faz o carro pular ao sair da imobilidade. Ao menos o consumo é mais brando que o do seu rival. Ponto para o C4 Lounge, embora ele só beba gasolina.

Estilos mais conservadores

Eis aí um aspecto que os dois sedãs mudaram e bem. O Lounge abandonou o excesso de cromados do Pallas e o jeitão exótico. Agora as linhas são mais esportivas e retas, com uma traseira mais curta. Há ainda alguma ousadia, como no vidro traseiro de curvatura negativa, mas no geral o carro é menos chamativo que antes. O novo Sentra também abandonou alguma soluções um tanto estranhas como os faróis retangulares e agora adota o mesmo estilo visto nos sedãs Versa e Altima. Ou seja, faróis em formato de flecha e lanternas que invadem a tampa do porta-malas e as laterais do carro. O formato da carroceria é curvado, o que dá impressão que o modelo cresceu, mas as dimensões são muito parecidas com as do antecessor. O resultado é bom, mas nada que faça parar o trânsito. Temos um empate, portanto.

Muita e pouca personalidade

No interior, as características das duas marcas estão mais claras. A Citroën sempre gostou de enfatizar sua personalidade com ideias ou muito arrojadas ou até exageradas. O Lounge não tem dispositivo de perfume como o Pallas, mas também tem seus toques diferenciados como no botão que muda a iluminação do painel de instrumentos de branco para azul, ou na partida do lado esquerdo, aí uma boa sacada já que é um espaço de maior visibilidade.

A marca francesa, no entanto, abandonou o painel central digital e agora oferece um carro com interior mais lógico, mas nem por isso prático em tudo. O ponto positivo é que o Lounge é bem cuidado no acabamento, com materiais nobres em quase todas as partes.

Há de se reconhecer que a Nissan melhorou e muito o interior do Sentra, que antes era simples demais. Agora, os materiais também estão melhores, o isolamento acústico evoluiu e a sensação de conforto aumentou. O problema é que o novo Sentra apenas se equiparou aos rivais nesse sentido. E falta à marca japonesa a personalidade que sobra na fabricante dos chevrons. Se você retirar o volante do carro dificilmente um desavisado saberá se tratar de um Nissan. Com isso, o Citroën está à frente do sedã japonês nesse aspecto.

Praticidade e conforto

Mas e na prática, como é conviver com os dois sedãs? O C4 Lounge sai na frente: você pode abrir qualquer porta do carro por proximidade enquanto o Sentra só tem o recurso nas portas dianteiras. Achar a posição de dirigir não é muito fácil em nenhum deles, mas o Nissan lhe deixa naturalmente mais alto, que é bom para pessoas de estatura baixa. No toque, as superfícieis emborrachadas do Citroën agradam mais, mas o Nissan também é bom. Dar a partida no francês, depois que você se acostuma que o botão fica à esquerda, é mais fácil. O volante imenso, no entanto, desagrada, ainda mais que ele usa assistência hidráulica contra elétrica do Sentra, bem mais leve.

A Citroën oferece trocas manuais no câmbio, o que o Sentra não tem, mas a evolução do CVT é mais agradável no trânsito da cidade. A suspensão, mais macia, também vai melhor em trechos urbanos enquanto o Lounge se encontra na estrada, onde a pegada mais firme combina mais.

Ambos trazem ar-condicionado de duas zonas, de fácil ajuste. A mesma situação não se repete com a central multimídia. A do C4 Lounge tem grafismo atraente, mas os comandos ficam abaixo da tela e não por toque como no Sentra. Para piorar, a interface é complicada e parear um simples celular foi uma tarefa impossível – o sistema simplesmente não reconheceu nenhum aparelho que tentamos ligar.

O Sentra traz uma central da LG que parece mais um acessório já que não dá pinta de ser integrada ao carro, mas engano nosso. O sistema ‘fala’ com o ar-condicionado e é de fácil assimilação. A resposta do Citroën vem no banco traseiro, que tem bom espaço e saídas de ar, ao contrário do Nissan.

Garantia para ser testada
Um dos pontos fracos dos sedãs é o pós-venda. Nesse aspecto, a Citroën e a Nissan investem no que podem: dão garantia de 3 anos e assistência de emergência. A marca japonesa promete revisões com custo fixo, que começam em R$ 189 na primeira parada, aos 10 mil km. A Citroën faz o mesmo, mas com valores maiores – R$ 400 nas mesmas condições, por exemplo. Mas o que o cliente que ver mesmo é seu carro funcionando sem problemas e isso é algo que só o tempo dirá se melhorou.

Conclusão

Tanto o C4 Lounge como o novo Sentra podem, sim, assumir o papel que os protagonistas do segmento exercem com sucesso hoje. E sem cobrar demais por isso. O Citroën, no entanto, mira nos clientes do Civic enquanto o Sentra pode agradar quem é fã do Corolla. Tecnicamente, o C4 Lounge é superior ao Sentra, como mostram as nossas notas, mas o preço mais alto anula essa vantagem. Ou seja, se você busca um sedã com ar mais esportivo e que terá de viajar com frequência, o Citroën é mais indicado. Já se sua principal preocupação é o caminho de casa ao trabalho, o Sentra vai satisfazer suas necessidades com folga, ainda mais se você tiver filhos. E, de quebra, os dois podem inverter os papeis, mas aí apenas para cumprir tabela.

Citroën C4 Lounge Exclusive THP 1.6

Preço - R$ 77.990

Prazer ao dirigir 7

Pelo pacote, o C4 Lounge poderia ser mais legal de dirigir. O pedal de acelerador tem pouca sensibilidade no início e o turbo não é tão nítido quando em outros modelos. Mas o carro agrada no geral.

Ergonomia 7

Chama a atenção o volumoso volante, que não chega a ser tão prático. O excesso de botões para comandar a central multimídia também peca. Já a sacada do botão de partida do lado esquerdo é perfeita.

Conforto para o motorista 7

A Citroën investiu no capricho do acabamento e os bancos estão entre os pontos altos do carro. O painel de instrumentos convencional também é mais adequado que o central do Pallas.

Conforto para os passageiros 8

O Lounge preserva o mesmo espaço interno do Pallas, ou seja, atrás acomoda bem seus ocupantes. E tem a vantagem da saída de ar do ar-condicionado.

Praticidade 7

Os destaques do Lounge são a chave de acesso remoto que permite abrir o carro em qualquer maçaneta. O porta-malas, mais bem dividido, também ajuda a acomodar a bagagem.

Versatilidade 6

O espírito do C4 Lounge é o do sedã executivo, mas com uma pegada mais esportiva, mas não é indicado a clientes mais conservadores.

Diversão 6

Decepciona nesse aspecto porque o motor turbo não empolga como esperado e o sistema multimídia não ser touchscreen. Pelo contrário, é de difícil utilização. Não combina com o frescor do projeto.

Visual 7

O Lounge é bem mais discreto que o Pallas, que abusava do cromado e tinha mais porte. O resultado é bom, mas mais indicado para um modelo hatch.

Tecnologia 8

Ponto forte do Lounge, que se destaca pelo fato de oferecer um turbo com injeção direta, que é econômico, e por ter itens como faróis de xenônio, opcional, é verdade.

Status 7

Talvez um problema para o C4 Lounge é que o sedã parece menor por fora do que é. Embora melhor que seu antecessor, o Citroën perdeu apelo que o Pallas tinha de sobra quando foi lançado.

VEREDICTO 7

A Citroën corrigiu alguns erros do Pallas no novo sedã como a qualidade do acabamento, mas o sedã ainda é pesado de dirigir e com menos refinamentos que alguns concorrentes. A grande questão é saber se o estilo comum não irá atrapalhar sua carreira.

Nissan Sentra SL 2.0

Preço - R$ 72.990

Prazer ao dirigir 7

O conjunto motor e câmbio do Sentra evoluiu na nova geração, mas é apenas o necessário para uma tocada do dia a dia. Não há arroubos de desempenho, mas o bolso paga pelo consumo elevado.

Ergonomia 7

Nesse aspecto, a Nissan não inventa: os instrumentos estão nos lugares de sempre e o acionamento é o esperado. Até o volante agora traz muitos itens, até mais do que o imaginado.

Conforto para o motorista 7

O acabamento melhorou e muito na nova geração. Agora, sim, lembra um carro médio. A posição de dirigir talvez seja um dos pontos medianos, um pouco alta demais.

Conforto para os passageiros 7

Assim como o motorista, também os passageiros se beneficiam do maior cuidado com o acabamento. O sedã também é bastante silencioso, mas poderia ter difusores de ar no banco traseiro.

Praticidade 7

A Nissan oferece o sistema keyless desde a versão mais básica, além da partida por botão. Ar dual zone também é parte do pacote assim como a central multimídia.

Versatilidade 7

Se antes o Sentra era carro de tiozão, agora ele pode fazer bem o papel de sedã executivo. E leva a família com bom conforto.

Diversão 6

Não é sua praia. O máximo que se pode dizer dele nesse sentido é o fato de ter teto solar na versão SL. Como item de série e não opcional.

Visual 7

O estilo da Nissan melhorou e está mais integrado, basta ver os irmãos Versa e Altima. Porém, não enche os olhos.

Tecnologia 7

O câmbio CVT é bom, o motor, dentro da expectativa, mas a Nissan poderia ter investido mais em outros itens. O que se salva é o bom pacote de equipamentos.

Status 7

É fato, quem anda de novo Sentra já ganhará alguns pontos no valet. O sedã parece maior do que é e usa os cromados com moderação.

VEREDICTO 6,9

Ainda não chegou o momento do Sentra causar impacto no mercado, mas ele evoluiu a ponto de ser um rival o Corolla e não pagar muito.

Texto: Ricardo Meier / Fotos: Rafael Munhoz / Fonte: iG Carros

Um comentário:

Anônimo disse...

A briga é boa, qual é melhor mesmo?

PUBLICIDADE

POSTS RECENTES

PUBLICIDADE

10 POSTS MAIS LIDOS

VEÍCULOS MAIS VENDIDOS - SETEMBRO DE 2014

FIAT PALIO 15.907
FIAT STRADA 14.225
CHEVROLET ONIX 13.483
VOLKSWAGEN GOL 12.583
HYUNDAI HB20 9.904
FIAT SIENA 9.518
FIAT UNO 8.749
CHEVROLET PRISMA 8.353
VOLKSWAGEN SAVEIRO 7.780
10º VOLKSWAGEN FOX 7.730