PUBLICIDADE

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Teste: Ford Focus hatch 2.0 Titanium Powershift 2014

03/10/2013 Carros do Álvaro — Versão hatch do novo Focus chega para encarar o Golf de sétima geração e tentar manter a liderança do segmento no Brasil.
Quando lançou no Brasil a segunda geração do Focus, em 2008, a Ford apostava todas as suas fichas na versão sedã. Dava como certo que o novo “três volumes” brigaria pela liderança com Honda Civic, Toyota Corolla e afins. Enquanto isso, o Focus hatch chegou ao mercado de forma discreta, quase como coadjuvante. Só que, enquanto o sedã jamais ameaçou os líderes do segmento, o hatch logo caiu no gosto do consumidor – esse ano, mesmo com o lançamento da nova geração anunciado, se mantém como o hatch médio mais vendido do país, com 1.870 unidades mensais. Mas a Volkswagen acaba de substituir o obsoleto Golf de quarta geração – apresentado na Europa em 1997 e reestilizado no Brasil em 2007 – pela tecnológica sétima geração de seu hatch médio, lançada há um ano no continente europeu. Com a chegada quase simultânea da terceira geração do Focus, que desembarca nas concessionárias Ford ainda este mês, a briga entre os dois novatos é uma das mais aguardadas do ano.

Ao contrário de New Fiesta e Fusion, lançados no Brasil meses após estrearem na Europa e Estados Unidos, respectivamente, a terceira geração do Focus demorou para desembarcar por aqui – o modelo foi apresentado nos principais mercados ocidentais em 2010. Esse atraso no lançamento faz com que o novo Focus chegue agora ao mercado nacional ainda sem a nova identidade visual da Ford, marcada pela generosa grade dianteira oval que faz lembrar os modelos da inglesa Aston Martin e já incorporada a Fusion, New Fiesta e Ecosport. No Focus, a nova “cara” irá estrear apenas no ano que vem, mas novamente deverá esperar alguns anos para chegar ao Brasil. O resultado disso é que, ao lado de Fusion, New Fiesta e Ecosport, o novo Focus parece um tanto defasado esteticamente. Fato que não chega a atrapalhar o desempenho global do modelo – tanto que a linha Focus é a mais vendida em todo o mundo há um ano.

No Brasil, as versões S, SE e Titanium do sedã – que novamente deve ser a estrela das campanhas publicitárias da linha – e a Titanium do hatch virão com o motor 2.0 Duratec Direct Flex, primeiro motor fex do mundo a receber injeção direta de combustível. Com duplo comando variável de válvulas e sistema de partida a frio, ele atinge 178 cv a 6.500 giros e 22,5 kgfm a 4.500 rpm. Em ambas as carrocerias, esse propulsor está sempre aliado a uma transmissão automatizada de dupla embreagem PowerShift de seis velocidades, com possibilidade de acionamento manual das marchas na manopla. Nas versão intermediária SE do hatch, haverá ainda a opção do motor Sigma 1.6 TiVCT, com potência de 135 cv com etanol e 131 cv com gasolina e disponibilidade de câmbio automatizado ou manual. Esse motor é de série na versão básica S do hatch, com opção de câmbio manual ou automatizado. Ambos os propulsores dispensam o tanque auxiliar de gasolina para partida a frio – uma forte tendência nas motorizações flex de última geração.

Além do que há embaixo do capô, a nova linha Focus conta com outros atributos. Direção elétrica, sistema de estacionamento automático, sistema Sync de conectividade e entretenimento – que inclui comandos de voz para celular, navegador e climatização –, chave com sensor de presença, ar-condicionado digital, sensores de estacionamento traseiros e dianteiros, câmera de ré, sensor de chuva, controle eletrônico de estabilidade e tração, faróis com acendimento automático e seis airbags estão entre os itens disponíveis na linha. Parte deles aparece apenas na versão “top” Titanium.

Quanto aos preços, o novo Focus hatch não irá manter a política extremamente competitiva que ajudou a embalar as vendas da geração anterior, mesmo quando o lançamento do atual modelo já estava anunciado. Os preços partem dos R$ 60.990 na versão S 1.6 com transmissão manual de cinco velocidades. E chegam a R$ 87.990 na versão Titanium 2.0 automatizada com o pacote Plus – aquela que incorpora tudo de melhor que a linha Focus pode oferecer. Ou seja, lá estão câmera de ré, Sync Media System com MyFord Touch e tela sensível ao toque de 8 polegadas, sistema de navegação, Sony Premium Sound com nove alto-falantes, comandos de voz para telefone, rodas de liga leve de 17 polegadas, faróis de xenon, luzes diurnas de leds, teto solar elétrico e banco do motorista com ajuste elétrico em seis posições, entre outros recursos da moderna tecnologia automotiva.

Primeiras Impressões

Argumentos consistentes

Mendoza/Argentina - Por dentro da versão Titanium do Focus hatch, predomina a modernidade e o bom gosto. No interior, a “estrela da companhia” é mesmo a tela central sensível ao toque que, entre outras coisas, proporciona interface gráfico ao bem bolado Sync Media System. Uma espécie de “marquise” sobre a tela impede que eventuais reflexos prejudiquem a visualização. O acabamento, bem mais caprichado que o da geração anterior, também chama a atenção. Quase a totalidade do painel recebe superfície emborrachada, e o couro que reveste bancos, portas e volante aparenta qualidade e requinte.

O Focus hatch de segunda geração era um carro dinamicamente interessante e equilibrado. E o de terceira geração nada deixa a desejar ao antecessor. O conjunto suspensivo continua a ser destaque no médio da Ford e transmite ao motorista uma permanente sensação de segurança, mesmo em performances mais esportivas. O bom isolamento acústico também reforça consideravelmente o conforto a bordo.

O motor 2.0 – na Argentina, só estava disponível a versão a gasolina, diferente da Direct Flex que rodará no Brasil – pode parecer um tanto inibido em baixos giros. Mas fica bem à vontade quando ultrapassa as 3 mil rotações. Como se fossem um dos famosos vinhos Malbec da região de Mendoza e um belo queijo parmesão, a transmissão com dupla embreagem e o propulsor 2.0 se harmonizam muitíssimo bem. As trocas de marchas são bastante precisas. Em “Drive”, as respostas aos comandos do pé direito no acelerador não são tão imediatas. No modo “Sport”, o desempenho fica bem mais instigante. E o acionamento manual das marchas, que pode feito na manopla do câmbio, é um recurso interessante quando se pretende imprimir uma “tocada” mais agressiva. Se bem que agressividade é um termo que não combina com modelos confortáveis e civilizados como o novo Focus.

Ficha técnica

Ford Focus hatch 2.0 Titanium Powershift

Motor: A gasolina, dianteiro, transversal, 1.999 cm³, com quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro e duplo comando de válvulas variável. Acelerador eletrônico e injeção direta de combustível.
Transmissão: Câmbio automatizado de dupla embreagem com seis marchas à frente e uma a ré. Tração dianteira. Oferece controle de tração.
Potência máxima: 178 cv a 6.500 rpm.
Torque máximo: 22,5 kgfm a 4.450 rpm.
Diâmetro e curso: 87,5 mm x 83,1 mm. Taxa de compressão: 12,0:1.
Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson, com molas helicoidais, amortecedores hidráulicos e barra estabilizadora. Traseira do tipo multilink, com molas helicoidais e amortecedores hidráulicos. Oferece controle de estabilidade.
Pneus: 215/50 R17.
Freios: Discos na frente e atrás. Oferece ABS com EBD.
Carroceria: Hatch em monobloco, com quatro portas e cinco lugares. 4,35 metros de comprimento, 1,82 m de largura, 1,47 m de altura e 2,65 m de entre-eixos. Oferece airbags frontais de série.
Peso: 1.399 kg em ordem de marcha.
Capacidade do porta-malas: 316 litros.
Tanque de combustível: 55 litros.
Produção: General Pacheco, Argentina.
Lançamento mundial: 2011.
Itens de série: Airbags frontais, laterais e de cortina, ABS com EBD, controle de estabilidade e tração, assistente de partida em rampas, aviso de pressão baixa dos pneus, sistema de entretenimento com tela central sensível ao toque de 8 polegadas com rádio/CD/USB/Aux e entrada de vídeo/áudio RCA, bancos com revestimento de couro, cruise control, sensor de estacionamento traseiro, de chuva e luminosidade, direção elétrica, volante multifuncional, retrovisor interno eletrocrômico e externos com rebatimento elétrico e ar-condicionado digital.
Preço: R$ 79.990
Texto e fotos: Luiz Humberto Monteiro Pereira / Auto Press /Carta Z Notícias / Via: MotorDream

Nenhum comentário:

PUBLICIDADE

POSTS RECENTES

PUBLICIDADE

10 POSTS MAIS LIDOS

VEÍCULOS MAIS VENDIDOS - OUTUBRO DE 2014

FIAT PALIO 16.622
CHEVROLET ONIX 13.589
FIAT STRADA 13.381
VOLKSWAGEN GOL 12.455
FIAT UNO 11.192
HYUNDAI HB20 10.603
FORD KA 9.603
VOLKSWAGEN FOX 9.218
VOLKSWAGEN SAVEIRO 8.439
10º CHEVROLET PRISMA 8.342