PUBLICIDADE

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Comparativo: Novo Ford New Fiesta desafia Peugeot 208

03/07/2013 Carros do Álvaro — Colocamos os dois novos hatches que agitam o segmento premium compacto em uma disputa direta. Qual leva a melhor?
Momentos antes do lançamento oficial do 208 no Brasil, em abril deste ano, questionamos representantes da Peugeot para saber qual modelo eles elencariam como principal rival do compacto. Não houve dúvida: Ford New Fiesta. Nas lojas desde maio, o hatch da Ford chegou, segundo a própria fabricante, para colocar o carro num novo patamar, mais popular e acessível. Consequentemente, a montadora almeja aumentar sua participação de mercado. A expectativa é, inclusive, chegar ao terceiro lugar entre os mais vendidos do país (atualmente o Fiesta está em 6º, segundo relatório das vendas de junho da Fenabrave).

Do lado da marca do leão, a causa é ainda mais nobre. Segundo a Peugeot, o 208 é o lançamento mais importante desde o 206, em 1999. O objetivo é fazer o mesmo barulho que o veterano fez à época de sua chegada ao mercado e restaurar a imagem da Peugeot na praça. Em resumo: todas as fichas estão apostadas no 208.

Ambos chegam para competir num ambiente carregado de nomes de peso (alô, HB20, Onix, Punto). Em busca da maior fatia, o Fiesta aposta em uma relação custo/benefício competitiva, enquanto o Peugeot investe em design.

Para definir qual é a melhor compra, colocamos os dois hatches compactos frente a frente. Elencamos para o ringue o Peugeot 208 Allure, versão intermediária de R$ 45.990 com motor 1.5, e o Ford New Fiesta S, versão de entrada de R$ 38.990, também equipado com motor 1.5. Apresentações feitas, vamos à luta.


Design e acabamento

Com a aparência mais ousada que o modelo fabricado no México, o New Fiesta brasileiro traz uma grade frontal maior, seguindo o mesmo estilo empregado no Fusion. A cartela de cores traz boas opções, como o azul e vermelho metálicos, que valorizam ainda mais os vincos do carro. A aparência é de um carro robusto, dando a impressão de que o compacto é maior do que de fato é.

Por dentro, é perceptível um empobrecimento perante o mexicano (até por conta do novo posicionamento de preço), há bastante uso de plástico, mas nada que comprometa a qualidade do veículo. É bonito, mas não emociona.

Ao contrário do Fiesta, o 208 é emoção pura. Visualmente, o hatch da marca do leão está anos luz à frente de seus concorrentes. Destaque para as luzes diurnas de LED e pelo teto de vidro panorâmico. No interior, o plástico que reveste o console central e portas imprime mais sofisticação. O volante pequeno e localizado abaixo do painel de instrumentos é outro diferencial, assim como a tela da central multimídia instalada no centro do console. Ponto para o 208.


Espaço e conforto

O 208 tem 2,54 metros de entre-eixos, o Fiesta tem 2,48 metros. O 208 acomoda melhor os passageiros que viajam atrás, que desfrutam de mais espaço para as pernas. O motorista segue confortável na frente, mas pode ter uma pequena dor de cabeça com o ajuste do banco. É que, dependendo da altura e da maneira com que ele ajusta o banco, o motorista poderá ter dificuldades em ler as informações no painel, de forma que nem sempre a posição mais confortável será a mais funcional. O Fiesta privilegia os ocupantes dos bancos da frente, ainda que um condutor com mais de 1,90 poderá raspar fácil a cabeça no teto. Três adultos no banco de trás viajam bastante apertados. O Peugeot oferece mais espaço no porta-malas. São 285 litros contra 281 do Ford, números que não são tão campeões assim. Por uma leve vantagem, mais um ponto para o 208.


Dirigibilidade

Na hora de enfrentar a buraqueira urbana, a suspensão da Ford consegue absorver melhor as irregularidades da pista. O carro é firme, com uma pegada mais esportiva e não vacila nas curvas. Quem gosta de ver o trânsito por cima certamente vai preferir o Fiesta, cujos bancos permitem um ajuste mais elevado. Os engates de marcha são fáceis, certeiros e não há folga na manopla. O 208 também é gostoso de guiar. A direção elétrica agrada pela leveza (ela é progressiva, fica mais firme em altas velocidades). O câmbio é um pouco barulhento e a embreagem alta demais para o meu gosto. O modelo não peca em estabilidade, mas é mais molenga que o Ford. Ponto para o Fiesta.

Desempenho

Sob o capô, o 208 traz um bloco 1.5 de 93 cv de potência, entregues a 5.500 giros, e torque máximo de 14,2 kgfm a 3 mil rpm. Já o Fiesta é alimentado por um motor 1.5 de 111 cv a 5.500 rpm e torque de 14,9 kgfm a 4.250 giros. No uso urbano, que é a proposta da dupla, nenhum faz feio. Mas o Fiesta é superior.

O hatch de Ford se mostra mais eficiente nas retomadas e arrancadas. Com respostas mais rápidas, o Fiesta é mais ligeiro e esperto que o 208, o que consequentemente torna a condução prazerosa e divertida. Em termos de consumo, de acordo com medição do Inmetro, o Fiesta faz, com etanol, 7,8 km/l na cidade e 9,6 km/ na estrada. O 208 roda 8km com um litro na cidade e 9,6 km com um litro em circuito rodoviário. Ponto para o Fiesta.


Custo/Benefício

Antes da conclusão, vamos analisar o conteúdo de cada carro:

New Fiesta, R$ 38.990: ar-condicionado, direção elétrica, trio elétrico, rádio com MP3, entradas auxiliares e viva voz Bluetooth, alarme volumétrico, retrovisores e maçanetas na cor da carroceria, rodas aro 15 com calotas, duplo airbag frontal e freios ABS.

Seguro: 3,2%
Cesta de Peças: R$ 4.009
Garantia: 3 anos

Peugeot 208, R$ 45.990: ar-condicionado, freios ABS, airbag duplo frontal, direção, travas e vidros dianteiros elétricos, rodas de liga leve, retrovisores elétricos, faróis de neblina, central multimídia com tela touchscreen, teto panorâmico e sistema de som.

Seguro: 4,6%
Cesta de Peças: R$ 2.676
Garantia: 3 anos

Por R$ 6 mil a menos, o comprador do Fiesta leva quase tudo que o 208 oferece. É claro que a central multimídia e o teto panorâmico são diferenciais no Peugeot, mas, pra quem quer efetivamente economizar, a dica é avaliar o quanto esses itens são realmente necessários. Sem hesitar, ponto para o New Fiesta.


E o vencedor é...

Ford New Fiesta. Com uma ótima relação custo benefício e um desempenho pra lá de honesto, o hatch fabricado em São Bernardo é uma das melhores opções de compra da categoria. O modelo está com bom estoque nas lojas, mas algumas revendas estão vendendo o carro com sobrepreço. É bom ficar atento.

Texto: Aline Magalhães / Fotos: Fabio Aro / Fonte: Autoesporte

Nenhum comentário:

PUBLICIDADE

POSTS RECENTES

PUBLICIDADE

10 POSTS MAIS LIDOS

VEÍCULOS MAIS VENDIDOS - SETEMBRO DE 2014

FIAT PALIO 15.907
FIAT STRADA 14.225
CHEVROLET ONIX 13.483
VOLKSWAGEN GOL 12.583
HYUNDAI HB20 9.904
FIAT SIENA 9.518
FIAT UNO 8.749
CHEVROLET PRISMA 8.353
VOLKSWAGEN SAVEIRO 7.780
10º VOLKSWAGEN FOX 7.730