PUBLICIDADE

sábado, 10 de março de 2012

GM apresenta o Camaro COPO

10/03/2012 Carros do Álvaro — Montadora relembra pacote de alto desempenho lançado para o esportivo no final da década de 1960.No final da década de 1960 nos Estados Unidos, a Chevrolet disponibilizava para o Camaro um pacote de alto desempenho chamado de Central Office Production Order (COPO). Para homenagear a época em questão, a montadora resgatou o conceito e introduziu o Camaro COPO, destinado aos campeonatos de arrancada.

Serão produzidas apenas 69 unidades, em referência a quantidade de unidades produzida no ano de 1969, quando o pacote original foi criado. O carro será oferecido em três versões: LS7 V8 7.0, LSX V8 5.3 com Supercharged de 2.9 litros e LSX V8 5.3 com Supercharged de 4.0 litros.
Fonte disponível no(a): CarroOnline.terra.com.br

Lotus mostra Exige S Roadster

10/03/2012 Carros do Álvaro — Genebra é palco de lançamento do novo conversível, exclusivo para Europa e Ásia.
A Lotus acaba de lançar no Salão de Genebra, o seu mais novo conversível, que nada mais é do que uma versão sem teto do Exige S.

O Exige S Roadster tem motor V6 3.5 que gera 345 cv e 40,8 mkgf. O carro faz de 0 a 100 km/h em aproximadamente 4s0 e a velocidade máxima é de 233 km/h. O novo Lotus pesa apenas 1100 kg, o que faz dele um dos mais leves no segmento dos roadsters de seis cilindros.

O Roadster vem com câmbio manual de seis marchas, mas também estará disponível com o Lotus Serial Precision Shift (SPS), transmissão manual que traz mais conforto, considerando que o motorista não precisa tirar as mãos do volante para trocar a marcha.

O carro está sendo desenvolvido exclusivamente para os mercados da Europa e da Ásia, excluindo assim o mercado dos Estados Unidos e dos países latino-americanos.
Fonte disponível no(a): Carroonline.terra.com.br

Designer desenvolve capota para motocicletas

10/03/2012 Carros do Álvaro — Carenagem protetora traz mais segurança ao motociclista. Dispositivo ainda conta com limpador de para-brisa.
O designer Phil Pauley desenvolveu uma carenagem que funciona como uma capota para motocicletas. Utilizando como base o conceito Suzuki Nuda, o inglês adicionou uma bolha que proporciona efeito aerodinâmico ao veículo e deixa espaço para que as pernas possam tocar o chão normalmente, durante manobras. O objetivo do conceito, chamada de Crossbow, é permitir que o motociclista ande de moto sem a utilização do capacete.

De acordo com o inventor, este dispositivo traz maior segurança ao usuário de motos e é indicado para corridas, viagens na estrada e mesmo deslocamentos urbanos. Além disso, outra vantagem do equipamento, que conta até com limpador de para-brisa, é a proteção contra as intempéries do clima. Para subir na moto, basta levantar a capota, que é escamoteável. Ainda não há uma previsão de que o produto chegue ao mercado.
A Suzuki Nuda, moto base do projeto, foi apresentada no Salão de Tóquio de 1986 e nunca chegou a ser produzida de fato. Mas serviu de inspiração para as esportivas da atualidade.
Fonte disponível no(a): G1.Globo.com

Museu Enzo Ferrari é inaugurado na Itália

10/03/2012 Carros do Álvaro — Local escolhido fica próximo a casa onde o criador da marca nasceu. Casa Enzo Ferrari abre oficialmente neste sábado (10), em Modena.
A Ferrari realizou na sexta-feira (9), em Modena, na Itália, a apresentação da Casa Enzo Ferrari, museu construído em homenagem ao criador da fabricante de carros esportivos. Um dos modelos expostos e este Alfa Romeo Bimotore de 1935 (Foto: Alessandro Bianchi /REUTERS)
Casa Enzo Ferrari abre oficialmente neste sábado (10). Museu está nas cercanias da casa onde Enzo nasceu e passou os primeiros anos de sua vida (Foto: Alessandro Bianchi /REUTERS)
Piero Lardi Ferrari, vice chairman da fabricante italiana, participou do lançamento do museu em homenagem a seu pai (Foto: Alessandro Bianchi /REUTERS)
Fonte disponível no(a): G1.Globo.com

Nissan Versa recebe prêmio máximo de segurança em crash test

10/03/2012 Carros do Álvaro — Sedã da Nissan consegue 'boa' nota em todos os quesitos. No teste de capotagem, modelo pode suportar 4,9 vezes seu próprio peso.
O Nissan Versa conquistou o título Top Pick Safety, anunciou na sexta-feira (9) o Insurance Institute for Highway Safety (IIHS), órgão de segurança viária dos EUA que avalia a proteção garantida aos ocupantes em caso de colisões.

Para garantir o prêmio máximo de segurança, o veículo avaliado precisa alcançar bons resultados nos quatro principais quesitos: colisão frontal, lateral, traseira e capotamento – neste último item o Versa pôde suportar 4,9 vezes seu próprio peso. Além disso, é exigência do órgão norte-americano que o modelo tenha controle de estabilidade.

A versão 2011 do Nissan Versa alcançou resultado apenas “razoável” em colisões laterais e capotamento, segundo testes anteriores do IIHS.
Fonte disponível no(a): G1.Globo.com

Avaliação: Novo Honda Civic LXL 2012

10/03/2012 Carros do Álvaro — Versão intermediária parte de R$ 72,7 mil e tem modo econômico. Câmbio manual está mais macio e ‘pede’ a sexta marcha.
A boa e velha briga entre sedãs médios oscila cada vez que um novo modelo é lançado, mas ainda nada abalou a primeira e segunda colocação de Toyota Corolla e Honda Civic, respectivamente. Naturalmente, a liderança engessa mudanças “revolucionárias” nos modelos, mas de tempos em tempos é preciso atualizar as tecnologias, não necessariamente ousando. E foi o que a Honda fez com o Civic que, no caso, apelou mais para o consumo do que para o design. 

Linhas para um público mais jovem, o Honda Civic sempre teve a seu favor em relação ao concorrente direto Corolla, porém, o que mais o espantava do seu público alvo era a sua fama de beberrão. Assim, a nona geração do sedã médio da Honda chega ao mercado com uma solução prática para o consumo de combustível, especialmente para aqueles que pretendem uma “vida dupla” com o sedã, entre vias urbanas e estradas: um botão.

O carro agora tem dois modos de dirigir, um mais econômico, e outro mais esportivo. Ao acionar o sistema Econ, com um toque no botão à esquerda do volante, o motor passa a funcionar de maneira diferente. A borboleta do acelerador abre aos poucos, o que permite um controle maior da injeção de combustível.

Veja os principais concorrentes do Honda Civic
 Uma sacada que chega na hora certa, já que a disputa pelo segmento tem crescido bastante, com lançamentos como o Chevrolet Cruze, que atrai saudosistas do primeiro Vectra, e o Renault Fluence, dono de um bom conjunto “custo-benefício”.

O G1 avaliou o desempenho do carro por uma semana com o acabamento intermediário LXL com câmbio manual. Ele vem com o mesmo motor 1.8 em alumínio de todas as outras versões e custa a partir de R$ 72,7 mil. Como itens de série diferencial da básica LXS estão acendimento automático dos faróis baixo e sensor crepuscular.
‘Pisadas’ controladas

O sistema Econ mostrou-se mais eficiente mesmo no que se refere ao consumo de combustível, ao comparar com o uso do carro com a opção desativada. Apesar de a avaliação do G1 de uma semana não possibilitar um cálculo médio do consumo e mesmo a montadora não divulgar os valores apurados de maneira técnica, o consumidor comum vai perceber no bolso certa diferença. De acordo com a Honda, o sistema foi projetado para reduzir em até 30% a emissão de CO2.

O motor 1.8 é um i-VTEC SOHC Flex, que produz 140 cv a 6.500 rpm, na abastecido com etanol, e 139 cv também a 6.500 rpm, com gasolina. Seu torque é 17,5 kgf.m a 4.500 rpm (gasolina) ou 17,7 kgf.m a 4.500 rpm (álcool). Todos os motores são equipados com a injeção multiponto PGM-FI (Programmed Fuel Injection) e sistema de ignição eletrônico mapeado. Tudo isso para melhorar a eficiência de combustível e oferecer acelerações mais precisar conforme pede a pressão do pé no acelerador.

No entanto, a função Econ deixa o conjunto mais controlado, digamos, apesar de a diferença não ser exacerbada por não afetar a potência. Na versão testada, com câmbio manual de cinco marchas dá para sentir que a segunda marcha poderia ser mais esperta. Mas quando o botão econômico é desativado, isso é ajustado, chegando próximo ao que se sente no concorrente da Toyota – e o que a maioria dos fãs argumenta como o grande barato do Corolla.

Voltando ao câmbio do Civic, as trocas são precisas, a manopla é favorável à boa dirigibilidade, mas quando se pisa fundo na quinta marcha, a mão pede a sexta. Isso acontece especialmente na estrada, quando dá para esticar mais. Outro ponto que mudou em relação ao Civic anterior é a maciez do câmbio, antes ele era mais seco, o que dava mais graça às trocas “esportivas”.
Posição ao dirigir e acabamento

Para quem gosta de ser “abraçado” pelo carro, o Civic tem o painel ideal. A ideia da Honda foi ressaltar as mudanças que já tinha feito na versão passada, deixando o painel de dois andares ainda maior. Aliado aos largos bancos e ao refinado acabamento, o interior do sedã mistura elementos sóbrios com o chamativo mostrador com azul predominante, de detalhes modernosos. Isso tudo considerando que é a versão intermediária do modelo.

Em suma, dentro da linha Civic é um bom custo-benefício. No entanto, a Honda continua a sustentar a mesma política de preços de sempre: manter um valor bem mais elevado em relação aos dos seus concorrentes.

O conforto é grande para quem dirige e maior ainda para os passageiros, que têm espaço suficiente para esticar as pernas. A posição de dirigir é fácil de ser encontrada e o volante... bom, o volante perdeu a graça. O antigo era bem melhor no quesito “pegada”.
Para compensar a “perda”, por outro lado o carro ganha na suspensão, que absorve melhor a irregularidades do chão e quase não passa movimento aos ocupantes. A suspensão ajustada aliada a um sub-chassi mais flexível (ele sustenta a suspensão dianteira) garante uma estabilidade em curvas que chama a atenção.

Se for colocar na balança todas as mudanças, para quem gosta de um carro para rodar tranquilamente por aí e com apelo mais modernoso, a nona geração do Civic é o companheiro perfeito. Mas se o grande objetivo é ter um sedã que reforça a esportividade, esqueça. O antigo é bem mais esportivo.

Dessa forma, o perfil do Civic se aproxima ao do Corolla. Se com isso a Honda quer vender mais, pode ser mesmo que consiga ampliar seu público para uma faixa etária mais madura. Porém, se acerta de um lado, do outro perde. O público mais jovem, de 30 a 40 anos, vai tender a escolher concorrentes também mais jovens, e nessa faixa entra Elantra, Cruze e Fluence.
Fonte disponível no(a): G1.Globo.com

Avaliação: Jaguar XKR-S conversível 2012

10/03/2012 Carros do Álvaro — Jaguar XKR-S conversível 2012.

Avaliação: Jeep Wrangler Unlimited 2012

10/03/2012 Carros do Álvaro — Linha 2012 recebeu novo motor V6 de 284 cavalos e câmbio automático de cinco marchas.
A Jeep prepara mudanças na sua linha de modelos, cujo estilo seguirá as linhas do novo crossover compacto que está por vir, provavelmente entre o fim de 2013 e o início de 2014. Mas o tradicional Wrangler ficará de fora dessa revolução. Considerado ícone da marca norte-americana, o modelo recebeu como principal mudança na linha 2012 um novo conjunto mecânico. Agora, o utilitário vem com motor V6 Pentastar de 284 cavalos e câmbio automático de cinco marchas. Durante apresentação do carro à imprensa, conseguimos avaliar a versão Unlimited (R$ 139.900), em trechos de asfalto e passando por obstáculos na terra.Feito para entusiastas das trilhas e da tradicional marca de 71 anos, o Wrangler de fato mantém várias características de um legítimo jipe. Para-brisa quase sem inclinação, volante bem próximo do painel conservador, caixas de roda no formato trapezoidal, dobradiça das portas aparentes, entre várias outras características fazem qualquer um se sentir um jipeiro de plantão. Dada a partida, o que impressiona logo de cara é o silêncio do novo motor V6. E nos primeiros metros fica clara a vocação para rodar em baixa velocidade, sem se intimidar com obstáculos pelo caminho. Pesando quase duas toneladas (1.860 kg), o jipão precisa de um bom impulso para vencer a inércia. Ainda bem que o V6 tem bons 35,4 kfgm, mas essa força toda aparece apenas a 4.300 rpm. Portanto, é preciso pisar mais forte no acelerador para conseguir certa agilidade. Segundo a Jeep, o Wrangler Unlimited faz de 0 a 100 km/h em 8,9 segundos e atinge 180 km/h.No trecho de asfalto é bom ter cautela nas curvas, apesar do controle eletrônico de estabilidade de série. A inclinação da carroceria nas curvas e o alto peso não deixam dúvida de que o habitat natural do Wrangler é mesmo numa boa trilha de terra. Não foi à toa que a fabricante preparou um trecho cheio de obstáculos no meio da lama. Parece que, assim que colocou os pneus lameiros no barro e a tração integral foi acionada, o carro se transformou. Aliás, o engate do 4x4 é feito à moda antiga. Não há nada eletrônico. E a alavanca precisa ser acionada sem cerimônias, com força.No primeiro obstáculo, o carro mostrou sua habilidade em passar por terrenos inclinados. No caso da versão Unlimited, o carro anda sem capotar até 19° de inclinação. Em seguida, veio uma subida íngrime, enfrentada sem dificuldade, mas pisando com vontade no pedal da direita. Os ângulos de ataque e saída também ajudam: 30,5° e 29.8°, respectivamente. O longo curso da suspensão e a boa altura livre do solo também fazem do Wrangler um devorador de trilhas. Até se aparecer um trecho alagado, o carro encara. Segundo a marca norte-americana, contanto que o velocímetro não passe dos 8 km/h e não tenha mais do que 48,3 centímetros de altura de água, o Unlimited passa sem problemas. Um dos segredos é a instalação de entrada de ar e alternador em posição mais alta no cofre do motor.Por dentro, um dos destaques fica por conta do sistema de som Alpine e facilidades para que vai pegar trilhas, como o dreno no assoalho para escoar a água que eventualmente pode entrar no carro. Mas quem for sentado no banco traseiro vai se sentir desconfortável. Os bancos de tecido não são um exemplo de conforto e o espaço para as pernas é pequeno. Pelo menos nessa versão de quatro portas, o porta-malas é generoso, com 498 litros. E a lista de equipamentos não impressiona para um modelo de quase R$ 140 mil. Há apenas duplo air bag, ar-condicionado, capota rígida removível, freios ABS, entre outros.
Ficha Técnica

Wrangler Unlimited 2012

Motor: Dianteiro, longitudinal, seis cilindros em V, gasolina
Cilindrada (Cm³)
: 3.605
Potência (Cv)
: 284 a 6.350 rpm
Torque (Kgfm)
: 35,4 a 4.500 rpm
Câmbio
: Automático, de cinco marchas, tração integral
Comprimento (m)
: 4,75
Largura (m)
: 1,87
Altura (m)
: 1,86
Entre-Eixo (m)
: 2,95
Peso (Kg)
: 1.860
Porta-Mala (l)
: 498
Suspensão
: Independente, do tipo McPherson no eixo dianteiro e semi-independente, com eixo de torção no traseiro
Freios
: A disco nas quatro rodas com ABS
Tanque (l)
: 85 litros
Preço (R$)
: R$ 139.900

Veredicto

Com planos de vender 400 unidades do Wrangler no Brasil em 2012, a Jeep ainda continua como uma marca para entusiastas. Em 2011, a marca fechou com apenas 25 pontos de vendas e quer dobrar esse número nos próximos anos. Com clara vocação para uso em trilhas, o Wrangler Unlimited, porém, tem poucos concorrentes diretos no mercado brasileiro. Outros dois aliados do carro são: tradição da marca e o bom nível de confiabilidade.
Fonte disponível no(a): Carsale.uol.com.br

Infinity confirma produção do FX Sebastian Vettel

10/03/2012 Carros do Álvaro — Crossover com apelo esportivo vem com assinatura do bicampeão de Fórmula 1.Antes apresentado como protótipo, o crossover esportivo Infinity Sebastian Vettel tem sua produção confirmada pela marca japonesa de luxo da Nissan. Entre os itens exclusivos da nova série limitada (que homenageia o bicampeão mundial de Fórmula 1), destaca-se o kit aerodinâmico com peças leves, feitas de fibra de carbono, e a suspensão recalibrada, que diminui a inclinação da carroceria nas curvas e abaixa o centro de gravidade, dando mais estabilidade.

No conjunto mecânico, o modelo vem com motor V8, de 5 litros de cilindrada, capaz de gerar 420 cavalos, potência suficiente para acelerar de 0 a 100 km/h em 5,6 segundos e atingir 300 km/h. A produção será limitada em 200 unidades que serão oferecidas na Europa e Oriente Médio. Mas a previsão é de que os primeiros carros vendidos deverão ser entregues apenas no início do ano que vem.
Fonte disponível no(a): Carsale.uol.com.br

Mercado de caminhões em queda estimula disputa entre fabricantes

10/03/2012 Carros do Álvaro — MAN perde espaço, Mercedes-Benz ganha participação e chinesas avançam.
O mercado de caminhões esfriou 5,2% no primeiro bimestre de 2012 na comparação com o mesmo período do ano anterior, com 23,1 mil emplacamentos. A queda, justificada pela sazonalidade e pelo início do Proconve P7 (Euro 5), nova etapa da legislação de emissões para o segmento, tornou a disputa pelas vendas mais acirrada. Nesse cenário, a MAN, que produz os veículos da marca Volkswagen, escorregou ao desenhar a estratégia para entrar na nova fase.

Os negócios da companhia desaceleraram 10% no período, para 6,7 mil emplacamentos. Com a queda, a montadora perdeu o espaço conquistado em 2011, com redução de 1,8 ponto porcentual de participação para 28,3%. Em março a marca precisará acelerar as vendas para desovar o estoque de veículos Euro 3, um dos maiores entre as fabricantes do segmento. Após o dia 31 só será permitida a comercialização no País de modelos que atendem às exigências do Euro 5.

A vice-líder Mercedes Benz registrou desempenho positivo no bimestre. Apesar da queda de 3,1% nas vendas, para 6,3 mil caminhões, o desempenho ainda ficou acima da média do mercado. Com isso, a marca ampliou o market share em 0,2 ponto, para 26,3%. A Ford, terceira colocada do ranking, foi na direção contrária e iniciou o ano com retração de 13,2% nos emplacamentos, para 4 mil veículos. O tombo é o maior entre as empresas do segmento. A montadora perdeu fatia de 1,7 ponto para 17% de participação.

Já a Volvo teve crescimento significativo de 19,4% mesmo no contexto de desaceleração, para 2,5 mil veículos no primeiro bimestre. A marca sueca subiu da quinta para a quarta posição no ranking de vendas e ampliou a presença em 2,1 pontos, para 10,8%. Assim como em 2011, o maior avanço foi registrado nas vendas da linha de semipesados VM, que cresceram 24,2%, para 805 unidades. O licenciamento dos pesados FH aumentou em 17,5%, para 1,7 mil caminhões. Bernardo Fedalto, diretor comercial da companhia para o Brasil, garante que os estoques de modelos Euro 3 se esgotaram antes do carnaval. “A nossa força de vendas está concentrada em Euro 5”, contou durante coletiva de imprensa no mês passado.

Também com resultados positivos, a Iveco foi a quinta marca mais vendida do bimestre, com 2 mil unidades. Enquanto o mercado caiu, a companhia manteve o volume de vendas equilibrado em relação ao mesmo período de 2011. Com isso, a fabricante ganhou 0,3 ponto de market share, para 8,7%.

A sexta colocada no ranking é a Scania, com 1,5 mil caminhões. Mais uma vez a companhia registrou resultado inferior ao do mercado total, com retração de 7,1% nos emplacamentos. A fabricante entregou mais uma fatia de participação, de 0,2 ponto, e respondeu por 6,5% das vendas. Ao contrário das concorrentes, a empresa optou por não formar estoques de modelos Euro 3 no fim do ano passado. Dessa forma, o foco está na comercialização de caminhões Euro 5 desde o início do ano.

Chinesas avançam

Ainda dando os primeiros passos no mercado nacional, as fabricantes chinesas de caminhões já aparecem nas últimas posições do ranking de vendas. O destaque é a Sinotruck que superou a Agrale no primeiro bimestre do ano, com 171 unidades comercializadas contra 102 da produtora nacional. Com o resultado, a novata tornou-se a sétima empresa que mais vende veículos do segmento, atrás da Scania.

Outra surpresa foi a Shacman que, apesar de ter vendido apenas 8 unidades, superou a Hyundai, que comercializa o modelo HD78, fabricado no Brasil. Nas últimas posições do ranking também começam a aparecer marcas como a asiática JMC, distribuída no Brasil pelo grupo Effa.
Fonte disponível no(a): AutomotiveBusiness.com.br

Tegma registra faturamento recorde de R$ 1,8 bilhão em 2011

10/03/2012 Carros do Álvaro — Empresa atua no transporte de veículos novos.
A Tegma Gestão Logística registrou recorde no faturamento de 2011 ao apurar ganhos de R$ 1,8 bilhão, resultado que representou um crescimento de 30,2% com relação a 2010, informou a companhia em comunicado nesta sexta-feira, 9. O Ebitda, lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, aumentou 13,7%, atingindo R$ 206,3 milhões.

A empresa transportou 1,3 milhão de veículos novos em 2011, volume 5,4% superior ao apurado no ano anterior. No segmento de autopeças, atingiu em 2011 faturamento de R$ 202,4 milhões, aumento de 30% sobre o ano anterior.

Na área de bens de consumo, no qual estão incluídas as operações de armazenagem alfandegada para os segmentos de e-commerce, eletrônicos, telecomunicações, moda e vestuário, a receita bruta alcançou R$ 318,6 milhões, incremento de 374,8% sobre 2010.

No ano passado a Tegma destinou R$ 64,3 milhões em investimentos para a aquisição de equipamentos e em obras de melhorias nos pátios espalhados pelo País, que somam 2 milhões de metros quadrados.
Fonte disponível no(a): AutomotiveBusiness.com.br

Morre Júlio Simões dono do grupo JSL

10/03/2012 Carros do Álvaro — Operadora logística criada por ele é a maior do País.
O jornalista Chico Siqueira, da Agência Estado, registra que o empresário Júlio Simões, fundador do grupo JSL, um dos maiores do setor de transporte e logística do País, morreu na madrugada do dia (8), aos 84 anos, em Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo, vítima de complicações cardiorrespiratórias. Seu corpo foi enterrado nesta quinta-feira, 8, no cemitério Parque das Oliveiras, naquela cidade. O executivo deixa esposa, cinco filhos, além de netos.

Júlio Simões estava afastado havia 11 anos da direção do grupo que fundou em 1956, mas ainda dava conselhos ao filho Fernando Simões, atual diretor-presidente da companhia. Figura lendária no setor de transportes, ele chegou ao Brasil, vindo de Portugal, em 1952, para trabalhar como mecânico, primeiro para um tio e depois em uma empresa de ônibus, em Mogi das Cruzes. Mas foi transportando produtos hortifrutigranjeiros de Mogi para o Rio de Janeiro, como caminhoneiro, que ele daria início à sua trajetória de empresário vencedor.

Depois de se especializar em cargas pesadas, em 1956 ele fundou a Transportadora Júlio Simões (TJS), que se tornaria a maior operadora logística do País no modal rodoviário. Hoje, a companhia possui 18 mil colaboradores em todo o Brasil e em quatro países da América Latina e conta com uma frota de 31,4 mil ativos, entre veículos leves, caminhões, carretas, ônibus, máquinas e equipamentos.
Fonte disponível no(a): AutomotiveBusiness.com.br

Novo Peugeot 308 já está nas concessionárias

10/03/2012 Carros do Álvaro — Modelo parte de R$ 53.990 na versão Allure 1.6.
A rede de concessionárias Peugeot já vende o modelo 308. Vendido apenas com carroceria hatchback, o carro parte de R$ 53.990 (versão Active 1.6), mesmo preço de tabela do 307, o antecessor. Completam a tabela as opções Allure 1.6 (R$ 56.990), Allure 2.0 manual (R$ 59.990), Allure 2.0 automática (R$ 63.990) e Feline 2.0 automática (R$ 70.990). A Peugeot oferece três anos de garantia para o modelo e as três primeiras revisões (10 mil ou um ano, 20 mil ou dois anos e 30 mil quilômetros ou três anos de uso) têm preços fixos. A primeira sai por R$ 234, a segunda por R$ 331 e a terceira, a R$ 234.

Desde a versão mais básica, Active 1.6, o Peugeot 308 traz airbag duplo, ar-condicionado, freios com ABS e repartidor eletrônico de frenagem (REF), direção eletro-hidráulica, acionamento elétrico de vidros, travas e retrovisores e rodas de liga leve. As versões superiores têm controle eletrônico de estabilidade (ESP), podem trazer até seis airbags e pacote de conectividade, com entrada USB e conexão bluetooth para celulares. A versão Allure 2.0 vem de fábrica com teto panorâmico, de vidro.
Fonte disponível no(a): AutomotiveBusiness.com.br

Novo acordo automotivo entre Brasil e México pode definir teto de US$ 1,4 bilhão

10/03/2012 Carros do Álvaro — Valor seria média das exportações de carros nos últimos 3 anos. 
O Brasil estaria em busca de um valor máximo de US$ 1,4 bilhão para as exportações mexicanas de automóveis ao País pelos próximos três anos. A informação é da Reuters. De acordo com a agência de informações, o valor estipulado como teto faria parte de uma carta de 8 de março, quinta-feira, enviada pelo governo brasileiro à chanceler mexicana, Patricia Espinosa, e ao ministro da Economia do México, Bruno Ferrari. 

De acordo com o documento, o teto utiliza como base o valor médio das exportações de automóveis do México para o Brasil nos últimos três anos. No dia 28 de fevereiro, terminou sem definição, mas com alguns progressos, uma reunião em Brasília (DF) entre representantes dos governos brasileiro e mexicano para renegociar o acordo de livre comércio automotivo entre os dois países.

Segundo fontes dos ministérios das Relações Exteriores e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), os mexicanos concordaram com o estabelecimento de cotas de importação, mas queriam entender melhor a fórmula proposta. Também aceitaram a inclusão dos caminhões e ônibus no acordo. O que ainda estaria sem entendimento é o índice de nacionalização requerido pelo Brasil para continuar isentando de imposto os carros vindos do México.
Fonte disponível no(a): AutomotiveBusiness.com.br

Empresa chinesa compra 2,5 mil caminhões Mercedes-Benz Actros

10/03/2012 Carros do Álvaro — Actros fabricados na Alemanha serão empregados na construção civil.Como forma de fortalecer a parceria com empresas chinesas, a Mercedes-Benz Trucks intensificou a cooperação com a Zoomlion Heavy Industry, fabricante de máquinas para construção. Recentemente, no fim de fevereiro, elas assinaram um acordo para o fornecimento de 2,5 mil caminhões Mercedes-Benz, entre os modelos extrapesados Actros 3341 e 4141.

A companhia chinesa receberá os veículos durante 2012. Eles serão produzidos na fábrica de Wörth, na Alemanha, onde também receberão adequações para aplicações especiais de bombas de concreto da Zoomlion. No ano passado, a Daimler vendeu cerca de 5,8 mil caminhões da marca Mercedes-Benz para a China. Como resultado, a nação tornou-se o sexto maior mercado para venda de caminhões Mercedes-Benz.

Caminhões implementados para aplicações especiais são muito utilizados na construção civil chinesa. O país planeja investir o equivalente a mais de € 800 bilhões na expansão da infraestrutura urbana entre 2011 e 2015.

Hubertus Troska, chefe e responsável mundial da Mercedes-Benz Trucks, enfatizou a importância do novo contrato: “Essa encomenda aprofunda nossa parceria com a Zoomlion. Confirma também a ótima imagem de nossos caminhões e a habilidade da organização de vendas da Mercedes-Benz Trucks na China.”

A Zoomlion Heavy Industry foi fundada em 1992 e é uma das grades empresas do setor de máquinas para construção na China. A companhia é especializada no desenvolvimento e na produção de tecnologia e equipamentos para a construção, bem como para as áreas de energia, meio ambiente e sistemas de transporte.

Nos últimos anos, a Zoomlion fortaleceu sua atuação no mercado de máquinas concreteiras, segmento em que emprega cerca de 30 mil funcionários. Sua matriz fica em Changsha, na província de Hunan.
Fonte disponível no(a): AutomotiveBusiness.com.br

Mercedes-Benz retoma crescimento no mercado de ônibus em 2012

10/03/2012 Carros do Álvaro — MAN perde participação no 1º bimestre.


As vendas de ônibus cresceram 4,9% no primeiro bimestre deste ano na comparação com um ano atrás, para 5,3 mil chassis. A Mercedes-Benz, líder do segmento, retomou no período a curva de expansão e ampliou a distância da segunda colocada do ranking, a MAN, que fornece os veículos da marca Volkswagen. A companhia acelerou as vendas em 39,2%, para 2,7 mil unidades, e abocanhou 11,7 pontos porcentuais de participação, para 51%.

A MAN, por outro lado, não conseguiu garantir um bom desempenho e viu suas vendas decrescerem 29,4%, para 1,3 mil ônibus. O market share da companhia sofreu a maior queda do segmento, de 12,2 pontos para 25,1%. Outra empresa a anotar desaceleração foi a Agrale. Com 599 chassis, a fabricante nacional reduziu os negócios em 13% em relação ao mesmo período de 2011. A participação dos modelos da marca no mercado caiu 2,3 pontos, para 11,2%.

A Volvo repetiu em ônibus o bom desempenho obtido nas vendas de caminhões. A companhia comercializou 277 unidades nos primeiros dois meses de 2012, com evolução de 432,6% sobre o resultado do ano passado. A alta é reflexo do lançamento do chassi com motor dianteiro, o B270F, que começou a ser vendido em julho e foi responsável por fazer do Brasil o principal mercado do segmento para a empresa. O resultado rendeu 4,1 pontos de participação para a companhia, que respondeu por 4,1% do total comercializado entre janeiro e fevereiro.

Já os negócios da Iveco na área de ônibus não foram tão bons quanto os do segmento de caminhões. Os emplacamentos da marca do grupo Fiat diminuíram 37%, para 212 unidades. O market share da companhia ficou em 3,9%, com redução de 2,6 pontos porcentuais. A Scania, no entanto, esquentou as vendas com o licenciamento de 172 chassis e expansão de 77,3% na comparação mensal. A companhia garantiu fatia de 3,2% do mercado, com avanço de 1,3 ponto.

Uma surpresa do primeiro bimestre foi a presença da International entre as fabricantes de ônibus. Dados do Renavam mostram que foram emplacados 13 chassis da companhia no período. A fabricante de veículos comerciais já admitiu ter planos para comercializar ônibus no País mas ainda não divulgou a data em que entrará no novo segmento. As unidades licenciadas provavelmente serão utilizadas na etapa final de testes.
Fonte disponível no(a): AutomotiveBusiness.com.br

Honda segue lider no mercado brasileiro de motocicletas

10/03/2012 Carros do Álvaro — Marca continua na liderança do mercado brasileiro.

É praticamente impossível transitar pelas ruas e avenidas de todo Brasil sem encontrar uma moto Honda pelo caminho. Isso porque a montadora japonesa está muito à frente das demais concorrentes em número de produção do mercado nacional. O modelo com maior saída é a CG 125 FAN. Somente nos dois primeiros meses deste ano, deixaram as fábricas 61,7 mil unidades. Para o bolso do consumidor, o preço da moto varia entre R$ 5.280,00 a R$ 5.780,00. Mesmo com queda substancial para o mesmo período de 2011 (produção total de 70,4 mil), a motocicleta segue voando à frente das similares.
Foto: honda.com

A principal rival, a Factor YBR 125 da Yamaha, atingiu somente 17 mil unidades fabricadas no Brasil. O preço aproximado é de R$ 5.830,00.
Foto: yamaha.com

A principal rival, a Factor YBR 125 da Yamaha, atingiu somente 17 mil unidades fabricadas no Brasil. O preço aproximado é de R$ 5.830,00.
Foto: suzuki.com

Já a Dafra, aos poucos, pode começar a galgar espaço no mercado das motocicletas no Brasil. Somente tendo a scooter como modelo de 125 cm³, a Smart, obteve a tímida produção de 160 unidades em todo o ano passado. E somente nos dois primeiros meses de 2012 já atingiu praticamente o mesmo número: 159 motocicletas. O preço sugerido para o modelo mais simples 2012 é de R$ 5.190,00.

Mas a gigante japonesa não se sente ameaçada pelas demais concorrentes. A Honda se destaca em números gerais desde as grandes e potentes motocicletas estradeiras até as versáteis e econômicas motos urbanas. Conforme os dados divulgados pela Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares), a Honda foi responsável pela produção de 80,94% das motocicletas do mercado brasileiro nos primeiros dois meses deste ano. Bem atrás seguem a Yamaha (10,64%), a Dafra (2,82%), a Kasinski (2,02%), a Suzuki (1,6%), a Kawasaki (0,66%) e a Harley com 0,22%.
Foto capa: rockriders.com.br
Fonte: BestRiders.com.br

Kasinski construirá fábrica de bicicletas elétricas no Rio de Janeiro

10/03/2012 Carros do Álvaro — Kasinski promete investir R$ 120 milhões na construção de fábrica no município de Sapucaia.

A cada dia as grandes cidades criam novos incentivos para que os condutores e pilotos deixem seus veículos em casa e utilizem meios alternativos de transporte urbano. Uma delas são as ciclovias. E pensando neste público, a Kasinski prometeu investir, em parceria com a concessionária de energia elétrica Light SA, cerca de R$ 120 milhões para a construção de uma fábrica no município de Sapucaia, localizado no estado do Rio de Janeiro. As obras devem iniciar ainda no mês de março. Inicialmente, a instalação fabricaria bicicletas elétricas. Os entusiastas interessados em adquirir o meio de transporte deverão desembolsar algo entre R$ 1,8 mil a R$ 2,5 mil por cada unidade. Em um segundo momento, a empresa utilizaria o mesmo parque fabril para a construção de motocicletas, também elétricas.

E para quem espera andar de bicicleta sem pedalar, a montadora revela que serão oferecidos cinco modelos diferentes da bike. Entretanto, a Kasinski não divulgou mais informações, como fotos dos protótipos e consumo médio de energia.
Fonte disponível no(a): BestRiders.com.br

BMW Motorrad F 800 GS tem novas cores na linha 2012

10/03/2012 Carros do Álvaro — Um dos modelos preferidos dos entusiastas da montadora alemã acaba de ganhar novas cores. Graphite Metallic Matt, Triple Black e Trophy passam a integrar a gama de cores da BMW F 800 GS. Esta incrível enduro de viagem, que vendeu desde o início da sua montagem e comercialização sob o regime CKD em Manaus mais de 1 mil unidades nos seus primeiros seis meses no país, é dotada de um aspecto resistente e uma suspensão alta, sendo capaz de enfrentar os mais severos terrenos off-road com muita facilidade e desenvoltura.

A tecnologia é sua aliada. Com um computador de bordo que expande a gama de informações que podem ser exibidas no display do painel de instrumentos, o motociclista pode adicionar os seguintes detalhes: nível do tanque, exibição da marcha engatada, temperatura do motor, consumo médio de combustível, autonomia, temperatura externa e cronômetro.
A F 800 GS oferece um nível excelente de conforto para o piloto e o garupa. Se for exigido um padrão ainda maior do hardware de segurança, a enduro já sai de fábrica com freio ABS de dois canais que pode ser desligado. Além disso, a ampla gama de acessórios BMW atende aos requisitos individuais dos clientes da BMW, como o GPS. Com o sistema BMW Motorrad Navigator III, o piloto seleciona um endereço, uma cidade, um destino turístico ou um local distante. O display pode ser variado: o piloto pode escolher exibir um mapa, uma combinação de mapas e instruções, um guia de estradas ou uma função de bússola com a distância e a direção até o próximo ponto. Foto: Divulgação

A motocicleta possui motor bicilíndrico de 4 tempos e de 798 cm³, que desenvolve 85 cv de potência a 7.500 rpm e 83 Nm de torque a 5.750 rpm. Em termos de pacote, além do ABS já mencionado, ela vem com roda raiada, piscas brancos de LED, aquecedor de manoplas, computador de bordo e cavalete central. A Trophy, adicionalmente, vem com protetores de mãos e protetor de motor em alumínio.

As novas opções de cores já se encontram disponíveis em toda a rede de concessionárias oficiais da marca no Brasil e os preços são:

Grapphitan – R$42.900,00
Triple Black – R$43.500,00
Trophy – R$43.900,00
Fonte disponível no(a): BestRiders.com.br

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

O blog CARROS DO ÁLVARO não se responsabiliza pelos textos aqui publicados, o blog somente aponta as postagens para os sites e seus autores.
CARROS DO ÁLVARO Copyright © 2015