sábado, 16 de junho de 2012

Avaliação: Kia Cerato 2012

16/06/2012 Carros do Álvaro — Sedã tem linhas modernas e bom conjunto mecânico. Mas autoestima...Não deve ser fácil acordar todos os dias, olhar no espalho e falar: eu sou o Kia Cerato, tenho músculos bem torneados, força e beleza, mas o sucesso não me acompanha. Sem draminha, o sedã coreano, uma bela opção entre os médios, sofre, na verdade, com o apelo dos concorrentes. Na ponta da tabela dos mais vendidos deste segmento Honda Civic e Toyota Corolla dominam a brincadeira há anos, no máximo alternando o lugar mais alto do pódio entre eles.

Pouco abaixo aparecem duas opções recentes e bem sucedidas chamadas Chevrolet Cruze e VW Jetta, dois carros com cartas na manga em relação ao Kia: rede de concessionárias pelo menos duas vezes maior. Como se esse quarteto não bastasse, o Cerato ainda tem que superar outros médios com apelos variados: 408 e Fluence têm bom custo-benefício, as linhas do Elantra são envolventes, o Lancer denota esportividade e o C4 Pallas – sim, ele ainda existe! – é um médio com tamanho GG.

Segunda impressão

Confesso que entrei no Cerato com um pouco de desconfiança. Nunca tinha andado no sedã da Kia, e as impressões dos colegas de redação eram variadas. Pelo menos um ponto eles tinham em comum: a versão manual de seis marchas era infinitamente superior à automática, diziam. Por sorte (ou coincidência), era justamente o Cerato com embreagem que me aguardava na garagem.

Soprava um vento frio na noite daquela sexta-feira, dia do meu primeiro contato com o carro. A pressa em entrar no sedã e fugir dos 11 graus do lado de fora era tanta, que nem pude dar uma olhada em suas linhas, uma mania tola. Numa boa, nem precisava. O desenho do coreano é exatamente o mesmo desde que chegou aqui, em 2009. Sem surpresas, mas ainda capaz de chamar a atenção.

Sento no carro e chama a atenção a espuma do banco, um pouco dura acima da média. Parto pro segundo passo, ajustar espelhos, volante e... o Cerato não tem controle de profundidade. É, minha experiência com o sedã não começou das melhores.
Para quebrar o gelo com esse coreano, e ainda com frio, dou partida no motor 1.6 quatro cilindros em linha, o único disponível para o carro no Brasil. Logo a sensação de estar na Sibéria de sunga desaparece – e não foi porque liguei o aquecedor. Saio pela rua e reparo que o coreano tem respostas rápidas e suspensão firme, é gostoso de dirigir e... me faz esquecer que praticamente neva do lado de fora.

Se a primeira impressão com o Cerato foi frígida, a segunda me convenceu a alterar meu caminho inicial – e colocar mais km no trajeto Car and Driver - casa. Como uma criança com um brinquedo novo começo a explorar o sedã em pormenores. O câmbio curto e bem escalonado – um pouco ruidoso também, é verdade – administra com primor os 126 cv de potência.

O torque de 15,9 mkgf, disponível em sua totalidade aos 4.200 rpm, ajuda a empurrar o carro com uma energia até surpreendente. Nas curvas, o Cerato tem comportamento neutro e não faz menção de sair de frente em velocidades civilizadas. Com 1.223 kg, o modelo tem relação peso/potência de 9,7 kg/cv.

Mudança de postura

A temperatura na cidade não parava de cair e correr para meu abrigo era cada vez mais necessário. Mudei de rota ainda surpreso com o carro. Chegando na minha garagem, desligo o motor e começo a reparar no interior do sedã. Extenso uso de plástico duro... volto a sentir frio. É um ponto que Corolla e Civic também pecam, é verdade, mas havia uma expectativa de que o interior do Kia fosse mais caprichado. A impressão é de simplicidade, mesmo esta versão top trazendo pedais de aço escovado, costura personalizada nos bancos e volantes e outros detalhes.

Passados alguns dias com o Cerato, chego a conclusão de que esse carro é um injustiçado – exemplos como este não faltam por aí, vide o Bravo, o antigo Mégane etc. Com linhas modernas e conjunto mecânico afiado, ele merecia estar em mais garagens. Mas essa história deve mudar em breve. Ainda este ano desembarca por aqui a nova geração do sedã. Tudo novo para poder olhar pro espelho com orgulho e gritar: sou o Kia Cerato, forte, bonito e todos me querem.
Por: Marcelo Cosentino
Fonte: CarAndDriverBrasil

POSTS RECENTES

PUBLICIDADE

10 POSTS MAIS LIDOS

VEÍCULOS MAIS VENDIDOS - JUNHO DE 2014

FIAT PALIO 14.080
VOLKSWAGEN GOL 13.167
CHEVROLET ONIX 10.993
FORD FIESTA 10.701
FIAT STRADA 10.561
HYUNDAI HB20 9.528
FIAT SIENA 8.544
FIAT UNO 7.580
CHEVROLET PRISMA 7.219
10º VOLKSWAGEN VOYAGE 6.953