PUBLICIDADE

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Teste: Fiat Grand Siena 2013

02/04/2012 Carros do Álvaro — Novo Fiat Grand Siena 2013.
À primeira vista, o Grand Siena chama logo a atenção. A novidade da Fiat irá incomodar bastante a concorrência quando o assunto é beleza. No entanto, alguns detalhes lembram os próprios concorrentes, como os faróis e as lanternas traseiras. Mas nada que desabone a sua personalidade forte. Comparado à geração anterior, o Grand Siena é outro carro, maior, mais espaçoso e mais moderno. Confira as impressões iniciais ao dirigir o Novo Grand Siena.

Após se acostumar com o visual do novo Grand Siena, partimos para o curto test-drive de aproximadamente 30 km pela região de Valparaíso, em Santiago, no Chile. O modelo escolhido para o teste foi a versão mais completa, a Essence 1.6 Dualogic. Após entrar, ajustar o banco e os espelhos, foi dada a partida com a chave canivete, igual a dos outros modelos da marca. A primeira sensação que tive, foi de estar em um Novo Palio mais requintado, pois o tablier tem um desenho bem parecido, assim como volante e a maioria dos comandos do interior.
Durante o trajeto, em uma estrada com muitas retas e asfalto bem liso, notamos um certo incômodo do banco, que era um pouco duro. Porém, em outros aspectos o Grand Siena ficou bem melhor que a geração anterior, com destaque para o espaço interno superior para quem vai à frente, assim como a qualidade dos materiais utilizados nos revestimentos das portas e painel, mas nada excepcional. O volante tem uma empunhadura muito boa, deixando o motorista apto a usar e abusar da ótima dirigibilidade do carro.

Após a metade do trajeto, sentimos que o modelo também ficou mais silencioso e com um ambiente interno mais agradável, resultado da utilização das cores claras dos bancos, painel e console, assim como os detalhes cromados que conferem um certo ar de requinte ao sedã da Fiat. Para quem vai atrás, o espaço ainda é escasso. Pessoas com mais de 1,80 m vão ter que encolher as pernas, caso o motorista ou passageiro do lado sejam grandes também. O porta-malas cresceu 20 litros, espaço mais que suficiente para levar as bagagens dos quatro passageiros com folga.
O motor E-torQ 1.6 16V Flex de 115 cv e torque máximo de 16,2 kgfm a 4.500 rpm om gasolina fez sua parte e deixou o Grand Siena bem à vontade na estrada. As acelerações foram lineares e progressivas, dando muita disposição aos sedã. Em conjunto estava o cambio Dualogic de cinco velocidade, que teve suas trocas feitas com poucos trancos, mas que se saiu bem melhor quando se opta pelas trocas em modo manual. Apesar das poucas curvas do trajeto escolhido pela Fiat para o teste do Grand Siena, percebemos uma melhora na suspensão em relação a versão anterior, ficando ligeiramente mais firme. Conclusões

O Grand Siena cresceu, ganhou personalidade própria, um desenho mais elegante e atrativo do que alguns concorrentes e recebeu um certo refinamento. O carro também melhorou em dirigibilidade, e agora, desde a versão de entrada entrega freios ABS e duplo airbag. Apesar do curto teste, foi notável a evolução do modelo em termos de condução e design. Certamente dará trabalho para a concorrência.

Em breve deveremos receber uma unidade para avaliação detalhada aqui no CARPLACE, ocasião em que poderemos mostrar ponto a ponto todas as novidades do Grand Siena, assim como desempenho e consumo.
Texto e Fotos: Marcus Lauria / Viagem à convite da Fiat / Fonte: Carplace

PUBLICIDADE

POSTS RECENTES

PUBLICIDADE

10 POSTS MAIS LIDOS

VEÍCULOS MAIS VENDIDOS - OUTUBRO DE 2014

FIAT PALIO 16.622
CHEVROLET ONIX 13.589
FIAT STRADA 13.381
VOLKSWAGEN GOL 12.455
FIAT UNO 11.192
HYUNDAI HB20 10.603
FORD KA 9.603
VOLKSWAGEN FOX 9.218
VOLKSWAGEN SAVEIRO 8.439
10º CHEVROLET PRISMA 8.342